Régis Marelli: o piloto certo pra guiar o badalado Brasilía

Régis Marelli: o piloto certo pra guiar o badalado Brasilía

Na semana passada, o Brasília anunciou a contratação do treinador Régis Marelli para comandar a equipe no restante da temporada. Com sua grande experiência, Marelli é, sem dúvidas, um profissional qualificado para conduzir o Brasília à dias melhores. Chegando em meio a um início de mais baixos do que altos dos brasilienses, a missão do técnico é complicada, mas não impossível. Com um currículo vasto, ele pode mudar o patamar da equipe aos poucos, ainda mais se fizer parte dos planos futuros da organização que mais recebeu investimentos durante o descanso entre a temporada 2020/21 e 2021/2022.

+ SIGA O ECB NO YOUTUBE,  INSTAGRAM,  TWITTER E TIKTOK

Régis Marelli e seu currículo

Marelli é considerado um dos maiores técnicos do período “NBB Caixa”, ficando sete anos a frente do São José. Durante essa passagem vitoriosa, o treinador conquistou por duas vezes o Campeonato Paulista, 2009 e 2011, além de chegar à uma final do NBB, ficando com o vice campeonato em 2011/12. Além disso, ele ganhou o prêmio Ary Vidal, dado ao melhor treinador da temporada em questão.

Além de ter essa passagem vitoriosa, Marelli comandou Palmeiras, Universo/Vitória e Paulistano. Agora sua nova etapa da carreira será extremamente desafiadora, já que chega para comandar um time cheio de investimentos, reforços e expectativas altas para o futuro. Vale ressaltar que é muito plausível haver uma oscilação na equipe. Junto às caras novas, comissão técnica nova e aspirações renovadas, é preciso ter noção de que um projeto leva tempo para ser executado a risca e, caso tenham a paciência necessária, Marelli é o nome certo para o trabalho.

Como fica o Brasília?

Apesar das grandes expectativas para o Brasília, é nítido que toda mudança leva tempo para ser encaixada, dar liga e funcionar perfeitamente. Régis Marelli é um nome badalado, campeão e de vasta experiência para colocar os pés no chão e trabalhar todo o potencial que a equipe da capital brasileira tem pra mostrar. Pode levar uma temporada, uma e meia ou até duas, mas assim que as coisas tomarem forma, a chance dos brasilienses alçarem voos gigantes é bem grande. Dinheiro, qualidade no plantel, desenvolvimento técnico e competência fora das quatro linhas são ingredientes presentes na organização. Só resta aos dirigentes juntar isso tudo e construir uma receita deliciosa, tanto aos olhos de quem torce, quanto aos olhos de quem apenas aprecia um bom basquetebol.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: