Você tem fome de quê? Conheça a logística de alimentação na Olimpíada de Tóquio

Você tem fome de quê? Conheça a logística de alimentação na Olimpíada de Tóquio

LOGÍSTICA DE ALIMENTAÇÃO EM TÓQUIO

Conheça a logística de alimentação que será utilizada durante os Jogos Olímpicos de Tóquio, que unirá padrões internacionais de manipulação de comida de preparo industrial com a tradição da culinária japonesa e seu cuidado com a natureza.

A gente não quer só comida
A gente quer comida, diversão e arte

(“Comida” – Titãs)

Comida é diversão, arte e também a principal base da saúde de um atleta. A cada olimpíada, um grande esquema de logística é montado para atender os participantes do evento. E nos Jogos Olímpicos de Tóquio, mesmo com a redução do número de pessoas nas comitivas, não poderia ser diferente – mais de 11 mil atletas farão suas refeições diárias nas vilas olímpicas.

Assim como nas duas últimas olimpíadas – Londres e Rio de Janeiro -, uma estratégia alimentar foi concebida para Tóquio. Um grupo, criado em março de 2017, reuniu-se durante um ano, em seis ocasiões, para elaborar a logística das refeições. Em março de 2018 a versão final do documento intitulado Food Strategy foi lançada.

WASHOKU – PATRIMÔNIO DA UNESCO DESDE 2013

Conhecer os membros do conselho é compreender que o país nipônico deixará sua marca em cada prato servido. O presidente do grupo é Hiroko Okubo, representando a Associação Washoku do Japão. “Washoku” significa o conjunto de práticas da culinária tradicional japonesa, desde a escolha dos ingredientes até o preparo e a maneira de servir. O respeito à natureza, apresentação que preza a estética, a preocupação com a saúde e o convívio familiar na hora de se alimentar fazem do washoku um destaque cultural conhecido em todo o mundo.

Com isso, o washoku foi considerado, em 2013, Patrimônio Imaterial Cultural da Humanidade pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura). A prática será a guia para todas as refeições servidas durante os Jogos Olímpicos.

Comida tradicional japonesa
O washoku, que engloba as práticas da comida tradicional japonesa, estará na Olimpíada. Foto: Japan House.

Além de Hiroko Okubo, 15 pessoas integram esse comitê focado na alimentação. São representantes japoneses de associações gastronômicas, empresas de catering (fornecimento de refeições) e representantes de hotéis, universidades e do governo do país.

+ SIGA O ECB NO YOUTUBE, NO INSTAGRAM, NO TWITTER E NO TIKTOK

A logística de alimentação servida nos jogos terá como base estes princípios:

  • Gerenciamento nutricional dos atletas;
  • Segurança alimentar e higiene dos produtos;
  • Preocupações ambientais;
  • União na diversidade;
  • Espalhar informações sobre cultura e compromisso alimentar.

DESCARTE FILMADO

Nos documentos elaborados pelo grupo, há muitas padronizações conhecidas de pessoas que gerenciam contratos de catering para empresas. Mas alguns itens podem chamar a atenção do leitor sem experiência em gestão gastronômica.

Se jogou fora, filme

O preparo e a venda das comidas, além do eventual descarte de porções que não forem consumidas, devem ser filmados. O material gravado será mantido por até um ano, e disponibilizado em caso de que as delegações ou outras instâncias oficiais necessitem consultar as gravações.

Ratatouille

Os caterings que servirão as refeições devem ter um certificado de desinsetização e combate a roedores atualizado, concedido nos últimos seis meses. O que chama a atenção neste item é a ressalva de que se um inseto ou rato seja encontrado no local de preparo, “o mesmo deve ser exterminado imediatamente” (nota da redação: alguém realmente veria um deles na cozinha e deixaria o assunto para depois?).

Comida de olimpíada
Um dos balcões de catering dos Jogos Olímpicos do Rio, em 2016. Foto: Loop Samoa.

Frio, frio

As bebidas preparadas nas vilas olímpicas e paralímpicas e nos locais de competição devem estar em 10°C ou menos, para as que são servidas frias, como sucos e vitaminas, e em 65°C ou mais, a exemplo de café e chocolate quente. E algumas bebidas devem ser preparadas e consumidas em até duas horas.

É proibido levar

Frutas, bebidas e snacks em pacotes são os únicos itens que podem ser levados dos salões de almoço e jantar para os quartos. Somente com autorização expressa do Comitê Olímpico é que outros tipos de alimentos poderão sair de onde são servidos para outros lugares da vila.

PADRÃO MUNDIAL

A logística de alimentação dos Jogos Olímpicos de Tóquio seguirá, segundo o documento, os padrões internacionais de higiene e segurança de alimentos praticados no mundo. As empresas que trabalharão no abastecimento de refeições comprovaram através de certificados e outros documentos legais que podem cumprir com todas as especificações solicitadas pelo Comitê Olímpico.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: